Subscribe:

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Dicas do Mumu | Os Zumbis Lusitanos de: "I'll See You In My Dreams"

Nada melhor do que falar de um assunto que amo e que agora está na moda, feliz ou infelizmente, os Zumbis. A série americana "The Walking Dead" deu uma "sobrevida" (rs) a esses seres aterrorizantes, que nunca foram tão "pop" como agora. É inegável que eles sempre foram um dos maiores causadores de pesadelo, todo mundo teme um apocalipse zumbi. Porém os fãs do gênero viviam um período conturbado, com produções razoáveis e contestáveis, mesmo de gente importante como o mestre "George Romero", que há algum tempo não alcançava o nível de excelência que lhe era característico. Só que vale lembrar que os grandes clássicos do gênero são, em grande maioria, "Filmes B" (filmes de baixo orçamento) e não seria justo falar aqui das grandes produções, devemos ser "roots" e fiéis aos clássicos alternativos, por essa razão vou falar do curta-metragem "I'll see you in my dreams", produzido pelo cineasta Felipe Melo, filme que abalou o cinema português no ano de 2003. 

Sou colecionador de filmes de terror B e filmes de zumbis a cerca de15 anos. Uns sofri muito para conseguir, outros menos. Alguns valeram a pena, outros nem tanto, mesmo assim o fascínio pelo terror "de verdade" (sujo, violento, sexual, e visceral) sempre foi maior e gratificante. Acredito piamente que os Filmes B são os verdadeiros filmes de terror, pois com pouco orçamento eles conseguem mexer com nosso imaginário, às vezes mais profundamente que as grandes produções.

Uma prova disso é o curta-metragem lusitano, "I'll see you in my dreams", lançado no ano de 2003. Ele foi o primeiro filme de zumbis produzido no país, e apesar do baixo orçamento os produtores conseguiram, em um bom plano de marketing, reunir um elenco de respeito com alguns dos melhores atores de Portugal na época: Rui Unas, Adelino Tavares, Sofia Aparício e São José Correia. Para a trilha sonora eles chamaram a maior banda do Metal português, o Moonspell. A banda foi responsável por uma maravilhosa e pesada versão da canção popular de 1924, "I'll see you in my dreams", composta por Isham Jones e Gus Kan, gravada originalmente por Isham Jones and The Ray Miller Orchestra. 

 Com um grande apelo de mídia, e com um roteiro simples, porém muito bem estruturado, o filme recebeu os prêmios de "Melhor Curta de Terror Português" e o de "Filme de Terror Português Mais Popular". Pode parecer bobagem, afinal de contas você deve estar pensando: "No mercado português deve ser fácil"! Bem, as coisas não são bem assim, pois os portugueses são acostumados a produzir e consumir seus próprios filmes, diferentemente do Brasil, que até tem uma cena de cinema independente muito bacana, mas que não é consumida pelo público brasileiro que é acostumado com produções hollywoodianas.
A história da película é simples (como um bom filme de zumbis deve ser), Lúcio mora em uma vila que é aterrorizada pelo temido apocalipse zumbi e foi obrigado a trancar sua esposa nos fundos de sua casa pois ela foi transformada em zumbi e ele não consegue se desapegar de seu amor. Nesta vila existem poucos lugares seguros, um deles é um bar (taberna) onde praticamente todos os cidadãos não infectados frequentam e se escondem. É neste bar que Lúcio reencontra o amor, e passa então a cortejar uma linda mulher chamada Nancy. Porém o ciúmes de sua esposa (zumbi) e outros mal entendidos fazem com que a história de uma guinada de 360º, onde o personagem principal se vê acuado em uma terrível situação quem nenhum de nós gostaria de estar. O final é chocante e muito bem bolado, mas fiquem tranquilos, nada de spoiler!

Como todo Filme B, a produção é recheada de palavrões, piadas cheias de chavões, cenas de sexo, muito sangue e violência, ou seja, uma produção digna de todos os prêmios que recebeu, pois é dinâmica e é recheada de cenas muito aterrorizantes. Pelo fato do filme ser português, há algumas situações que são curiosas. Um exemplo é que mesmo sendo falado em português, da primeira vez que assistir provavelmente entenderá somente 70% do que é falado, pois o português de Portugal é carregado de expressões que não usamos em nosso cotidiano aqui no Brasil. Quem esta acostumado a assistir "The Walking Dead" já se acostumou com a expressão "the walker", forma com quem eles chamam os zumbis na série. Já em  "I'll see you in my dreams" os zumbis são chamados de Zombies, isso mesmo, em inglês mesmo, e com uma pronúncia muito carregada, é incrível como uma coisa tão simples deixa o filme charmoso.

O filme foi lançado somente com uma tiragem especial de 1000 exemplares luxuosos e numerados, ou seja, quem conseguiu o seu é uma pessoa muito feliz. Confesso que eu não tenho a versão original, fui obrigado a recorrer ao download mesmo, não houve jeito, mesmo me doendo muito. Quem me conhece sabe que o Moonspell é minha banda favorita (tenho tudo que foi lançado por eles), e ter minhas duas paixões reunidas em um único álbum seria fabuloso, mas não tem problemas, um dia eu consigo essa preciosidade.

O filme é indispensável para fãs do gênero. Já o Moonspell também é indispensável para fãs de música pesada.

Ficha Técnica do Filme
Direção: Miguel Ángel Vivas
Roteiro: Miguel Ángel Vivas, Filipe Melo e Ivan Vivas
Produtor: Paula Diogo e Filipe Melo
Ano: 2003
Gênero: Curta-Metragem, Terror
Duração: 20min
Elenco:
Adelino Tavares (Lúcio)
São José Correia (Nancy)
Sofia Aparício (Ana)
Manuel João Vieira (Sam)
João Didelet (Dário)
Rui Unas (Miguel)
David Almeida (Zumbi anão)
Cláudia Jardim (Zumbi gordo)

Quer saber mais sobre o filme e seu produtor?
Clique aqui para ler a entrevista realizada com o diretor português Filipe Melo.
Clique aqui e veja tudo sobre o filme no IMDB

Assista o clipe oficial para o filme gravado pelo Moonspell


Assista o filme que foi disponibilizado no Youtube
Parte 1


Parte 2

Espero que gostem!




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...