Subscribe:

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Mulheres e a vida geek

Bom, pessoal, esse post vai ser um pouco diferente. Nele, eu vou falar um pouco da minha experiência como mulher nesse mundo tecnológico dominado por homens.

A vida de uma mulher fazendo qualquer coisa que tem um histórico masculino é desafiadora. No mundo dos games, da informática, da tecnologia, não poderia ser diferente. Posso dizer que sofri muito, algumas vezes, por querer fazer parte deste espaço. As pessoas têm a cabeça fechada, e estão sempre prontas para criticar e menosprezar.




Exagero? Conte você. Se você é uma mulher, e adora um game, já deve ter passado, como eu, por situações difíceis. Me lembro que ser fã de dragon ball era motivo para minhas amigas rirem de mim. Animes? Mangás? Isso não é coisa de menina! Eu assistia escondida aos meus animes favoritos, como dragon ball, guerreiras mágicas de Rayearth, Pokémon. Colecionava figurinhas às escondidas. Nunca podia levar meus tazos para a escola, pois, do contrário, seria motivo de piada. Sempre quis frequentar as rodinhas de trocas de figurinhas, mas nunca tive coragem, pois já tinha sofrido muito com esses meus costumes que a sociedade classificava como masculinos.
Falar de videogame com minhas amigas? Nem pensar! Elas queria saber era de assistir chiquititas e malhação, e qualquer coisa diferente disso era motivo para o que chamamos hoje de bullying.

Fui crescendo, e a vida não ficou muito mais fácil (quanto drama!). Amava gunbound, mas nenhum dos meninos do colégio nunca sonhou em saber que, muitas vezes, era eu que destruía com seus times (sem NUNCA usar raon. Qdo pegava Raon no random, ia só de t1.). Joguei Gunbound até os 20 anos, que foi quando o meu windows sete e o aplicativo do Gunbound decidiram que seria o fim de meu relacionamento com o aplicativo (hoje já deve ter um upgrade compatível, mas tenho medo de voltar a ficar 4 horas por dia no servidor...).
No Gunbound, SEMPRE tinha esse tipo de conversa:

- Ow, helogclaro, é mulher mesmo?
- Sim.
- Ahhh, duvido.
- Ok.
- É mesmo?
- ...
- Ow, passa seu msn, então?
- Não trabalho com msn.

Não sei porque as pessoas sempre achavam que eu era um homem fakeando, pagando uma com avatar feminino. Não sei qual seria a vantagem, e era eu mesma. As vezes até me pediam pra me add no msn e pra ligar a cam, pra terem certeza, mas que diabos!

Star Wars? Coisa de menino. Super Heróis? Coisa de menino. - Mãe, quero uma lancheira do Batman! - Ah, toma essa da Barbie, meu amor!

- Garota, seria melhor se você chamasse um técnico pra arrumar a sua rede.
- Não, eu sei qual o problema. Eu só preciso do DNS da telefônica para rotear o meu modem.
- Você quer que eu agende a visita do técnico pra quando?
- Esquece, vou achar no google.

Coisas como estas eram comuns. Você podia até querer jogar videogame na casa de um amigo, mas nada além de Alex Kidd. Nada contra Alex Kidd, que eu adorava, mas eu queria ver o sangue correr no Mortal Kombat! Por que isso me faria menos feminina?

Sempre adorei usar rosa, maquiagem, fazer penteados, fazer compras, enfim, eu gosto de coisas ditas femininas (que podem ser feitas por homens sem prejuízo), por que o problema?




Você pode namorar e entender mais de tecnologia do que seu namorado? Sim! Eu sempre arrumo o pc dele, instalo modem, instalo programas. Eu que o ensinei a segurar um controle de videogame na mão.

Com o tempo, eu fui perdendo a vergonha de mostrar quem eu realmente era. As minhas amigas conheceram o meu DS e o meu Wii, e agora três delas já os possuem também. Claro que elas não jogam RPG como eu, nem são fãs de pokémon, mas já foi possível mostrar a elas o quanto o mundo do Mário pode ser legal.

Então, meninos e meninas, o que acham disso tudo?


**Gostou desta coluna? Quer que sua história seja publicada aqui? Então mande um e-mail para contato@revistageek.com.br e conte tudo pra gente!

17 comentários:

Tayson disse...

Nossa, muito bom o texto. Eu mesmo só te conheci por causa de Pokémon, hein?

Hahaha eu tenho um amigo que fez uma conta fake de mulher só pra ficar pedindo item no Mu online. ahUHEUHAUA

A maioria dos meninos que jogam isso são forever alone, e não podem ver uma mulher no jogo que já caem matando! Meu colega já chegou até a namorar no jogo e arrastou todos os itens de um cara. auhauhuahu

Deve ser dureza ter vergonha de fazer as coisas que gosta por conta dos preconceitos das pessoas =(

Stéfani disse...

Muito bom o texto, Helô. Comigo acontecia o mesmo, algumas vezes de forma bem violenta. Comecei a gostar de HQ's bem cedo, mas precisava esconder para não apanhar na escola e não ser zoada.
Hoje, como virou moda a cultura nerd, ficou tudo mais fácil. Se isso é bom ou ruim ainda estamos para descobrir. EHEOIEHO
Parabéns pelo texto.

Anônimo disse...

Quem é mais velho sofreu mais por isso mesmo, hoje ser Nerd é pop e muito aceito pela sociedade.

Helô disse...

Ow Sté, legal saber q não sou forever alone! rs
meninos, vcs sofriam esse tipo de bullying tb??

Tayson disse...

eu sofria quando eu queria brincar de Barbie =(







ahiuehoiahOIUAHuihe BRINKS

Helô disse...

É, eu sei que é brincadeira. Brincar de Barbie era natural para vc, sem sofrimento.

Felipe Cluk disse...

Antigamente as coisas eram dificeis ate para homens mesmo, do que ja fui taixado de Nerd (e apanhei) na escola na minha infancia, não sei como não virei um wellington menezes hahaha.

Hoje em dia ta muito mais facil, a inclusão digital tornou algo comum a cultura geek/nerd, por mais que muita gente ainda torça o nariz, a tolerancia é mil vezes maior do que antigamente.

Agora sei que talvez acabe sendo um comentario machista, mas do meio geek/nerd, 95% das mulheres ficam em Wii e DS, conheço umas duas só que são hardcore e se pudessem faziam o Kratos arrancar a cabeça do mario com a unha.

Tayson disse...

hahahah felipe sofria bullying

Helô disse...

hum, não sei se 95%... Eu prefiro nintendo pq sou super fã de RPG, e os de ds são melhores, na minha opinião. Tb pq curto zelda e pokémon, mas eu arrasava no CS, adoro Halo e Call of Duty... Resident Evil... (mas não jogo Resident Evil se estiver sozinha NEM FERRANDO, do mesmo jeito q não assisto filmes de terror...)

Helô disse...

ah, e tb curto God of War. No gunbound, por exemplo, 90% eram homens, mas eu sempre fiz questão de representar a classe feminina...

Tayson disse...

esse texto tá fazendo maior sucesso, já entrou pro top 5!

Helô disse...

é que eu sou sempre um sucesso. E pronto.

Nielly disse...

post legal..

eu tbm gosto muito de cs,call of duty e god of war.. zerei o 1 e o 2, o 3 não terminei de jogar pq o ps3 deu pau rsrs. tbm gosto muito de mangá meu favorito é Death note ;)

já em relação aos meninos.. aqui no meu bairro rolava uma competição de cs e eu era a unica mulher no meio..e mandava mt bem tbm!

ate minha mãe brigava comigo dizendo que isso era "coisa de menino" mais nunca deixei de jogar rsrs

Helô disse...

Oi Nielly
Mto bom! sem nunca perder a feminilidade!!! rs!
headshot com mto estilo!

tiago disse...

muito bom, gosto de textos "pessoais" mais do que "críticos tv fama like" por isso esse foi um dos primeiros textos que li quando abri a página xD

Juliara Vasconcelos disse...

Eu gostei muito do seu texto. Eu também sou meio assim, gosto de animes, videogames (amo KOF) e muitas coisas que você falou aí, e quando eu era mais nova que eu falava de dragonball as meninas sempre riam da minha cara... Ainda bem que agora eu posso assistir todos os animes que eu quiser \o/

Helô disse...

Oi Juliara!! Sempre bom receber meninas por aqui! =D
Acho que, no geral, a vida está mais fácil para as geeks da nova geração...

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...