Subscribe:

domingo, 24 de julho de 2011

The Host - Stephenie Meyer

Stephenie Meyer, a escritora que foi consagrada pela saga "Crepúsculo", mostra com "The Host" ("A Hospedeira") que sabe ligar o botão sci-fi e escrever histórias mais adultas.

Ah, quem não adora alienígenas? Eu adoro, e me apaixonei pela história das almas e dos homens.

Tudo começa com a inserção. Ford Águas Profundas (algo como um médico) insere a "alma" Wanderer (ou Wanda) no corpo de Melanie Stryder, uma humana dura na queda.

O livro se passa na terra, invadida por seres super desenvolvidos, chamados de almas. As almas peregrinam por  diversos mundos, se apossam dos corpos dos habitantes destes e vivem suas vidas. Wanda é uma alma sênior, já foi inserida em, ao menos, sete planetas antes da terra. Ela já foi do planeta Flor, urso, aranha, alga, morcego, dragão. Por ser uma alma com vasta experiência no ramo da dominação de outras espécies, as almas acreditam ser mais seguro inseri-la no corpo de Melanie, que era da resistência, um ser humano forte, que pode causar problemas. Estes seres dos outros planetas são facilmente domináveis: uma vez que a alma é inserida em seus corpos, os seres anteriores simplesmente deixam de existir. Não é assim tão fácil na Terra. Algumas pessoas aqui se recusam a ser substituídas. Se recusam a deixar de existir.

Melanie Stryder fazia parte da resistência, que são os seres humanos que percebem que algo errado está acontecendo, e passam a viver como fugitivos para não serem "inseridos". A alma entra, a consciência humana sai, ou, em alguns casos, fica adormecida. Não queremos isso, certo? Infelizmente, Melanie é pega. Quando percebe que é o fim, tenta se matar antes de ser expulsa de seu próprio corpo, mas os extraterrestres conseguem salvar o hospedeiro, e Wanda é inserida.



Apesar de achar que era seu fim, Melanie continua por lá. No começo, é como se apenas suas lembranças estivessem vivas no pensamento de Wanda, mas depois de um tempo, as manifestações vão ficando mais fortes. Wanda passa a amar e sentir falta das pessoas que Melanie amava. Sente falta de Jared, o namorado de Melanie. Sente falta de Jamie, o irmão mais novo de Melanie. Mas como ela pode se sentir assim por humanos? Por pessoas que ela não conhecia?

Em uma constante briga entre a alma e as lembranças de Melanie, eventualmente a segunda toma controle temporário do corpo, dos desejos, do pensamento. Wanda passa então a perseguir o ideal doentio de reunir-se com os seus amados, ou melhor, os amados de Melanie. Melanie tenta proteger algumas de suas lembranças para que Wanda não os encontre, mas é claro que ela acaba os encontrando.

Quando encontra o grupo de humanos ao qual Melanie pertencia, eles não a aceitam. Não acham que resta nada de Melanie dentro de seu corpo, e temem por sua segurança. A tratam como prisioneira, batem nela, e as duas sofrem juntas, no mesmo corpo. Jamie é o único que parece estar animado com qualquer parte que seja de sua irmã mais velha. Jared acha melhor livrar-se dela de uma vez por todas.

Essa é uma história que dá um nó na sua cabeça.
Eu comecei a ler e sentir raiva dos invasores. Depois, percebi que a sociedade deles era muito mais organizada, pacífica, amorosa do que a nossa. Parece uma sociedade perfeita. Você se apaixona por Ian, um humano que se apaixona por Wanda (sabendo que ela é uma alma), que é meio apaixonada por ele, meio apaixonada por Jared, que ama Melanie, mas acha que nunca mais a verá, e que cuida de Jamie como se fosse seu irmão, que parece gostar de todo mundo. Por isso a história é adulta: Não existe o bem e o mal. Existem seres diferentes disputando o universo e a sobrevivência, se descobrindo, e vivendo situações extremamente conflituosas. Ainda tem a Hunter, que é uma alma que meio que percebe que tem algo de errado com Wanda desde o começo. Algo que talvez possa provar que ela não é tão forte assim quanto pensavam, e que pode desbalancear a ordem das coisas. Ela persegue a(s) protagonista(s), e é um dos maiores pesadelos dos personagens do livro.

O livro ficou por 16 semanas em primeiro lugar do New York Times. Parece que em 2009, Nick Wechsler, Steve e Paula Mae Schwartz compraram direitos do livro para adaptá-lo às telonas. O roteiro foi adaptado por Andrew Niccol, e em maio desse ano, Melanie foi encontrada: será vivida por Saoirse Ronan. Eu a acho muito novinha para o papel. Melanie tem 21 anos na maior parte da história, é uma personagem forte, que manda bem na luta e ação do livro. Eu sempre a imaginei meio Charlize Theron em Aeon Flux, e acho que a fofíssima aí não é muito o que eu imaginava.



Eu, particularmente, acho que as almas e os homens deveriam arrumar um jeito de coexistir. As almas têm alta tecnologia, maior organização, e poderiam nos ensinar muita coisa, mas não gosto da idéia de sermos todos substituídos. Há quem torça para uma dominação total das almas (Team Souls). Há quem torça pelos humanos (Team Humans). Para quem você torce?? O livro promete continuação, e espero que venha logo. A história é realmente envolvente, você não vai parar de ler até chegar na página 557.

Sendo de qual time for, o livro é ótimo. Não perca a oportunidade de lê-lo. 9 Spocks, e não se fala mais nisso.




Ps.: Ah, quer saber mais sobre o livro? Visite a seguinte página, que é, em minha opinião, a melhor fonte de informações sobre o livro.

3 comentários:

Tayson disse...

Eu tenho mais ainda não li.

Anônimo disse...

Tenho um certo preconceito com a autora, não é o tipo de leitura que me agrada.

Bal disse...

Fiquei séculos com esse livro na minha casa e não tive coragem de ler. Deve ser birra da saga crepúsculo!

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...